Quem lê o Evangelho sem lhe discernir o espírito, não entende certas arbitrariedades de Jesus. Coisas como: Por que o CONVITE do reino de Deus não entende a recusa de recém casados que não aceitam o convite porque desejam ter um tempo para gozar amores? Ou por que pede a um filho que não perca tempo sepultando o próprio pai? Ou por que quem comprou um campo não possa nem mais vê-lo se a razão for seguir e atender o convite do Reino?
De fato, há decisões arbitrárias nas parábolas de Jesus. O filho que desperdiçou tudo foi recebido com uma festa; um administrador infiel, que foi esperto e sábio na administração de seu próprio erro, é elogiado; sem falar nas Duas Bodas parabólicas, em Mateus e Lucas, nas quais a decisão do Rei é não desperdiçar a festa, e nem perdoar os que mataram os que foram convidar os convidados que se negaram a vir ao Banquete das Bodas; e, decido a "encher a casa", o Rei manda convidar a todos, mesmo que fossem mendigos, cegos, coxos e paralíticos; ou gente de qualquer esquina ou beco; qualquer um, bom ou mal; sim, toda gente poderia vir e comer e beber; pois está foi a Sua decisão. Porém, se o Rei entrar e encontrar na Festa do Filho uma única pessoa e que não esteja vestida de traje nupcial—o tal pode ser mendigo, coxo, pobre ou quem quer que seja—, infalivelmente esse convidado será eleito para ser lançado fora. Assim, para Ele, não interessa quem é a pessoa, mas o que a cobre. E como explicar que dificilmente os ricos entrarão no reino dos céus? Só por que um jovem rico recebeu como premio por seus esforços de perfeição ouvir o decreto de Jesus que lhe disse “uma só coisa te falta”, assim, pelo meio da testa? Para depois prosseguir ouvindo: ”Vai, vende tudo o que tens, dá tudo aos pobres, e terás um tesouro nos céus; depois vem e segui-me.” Seria por essa razão tão estranhamente arbitrária que os ricos dificilmente herdarão o Reino? Mas, se é assim, como então Jesus age diferente quando logo a seguir Ele encontra um outro rico, cujas riquezas não eram fruto do trabalho mais dignificado na época—para ser irônico—, um publicano; e, de graça e por nada, o chama e pede para ir jantar em sua casa? E, ao fim do banquete diz que a salvação entrou na casa daquele homem rico de Jericó, chamado Zaqueu? Sim, que lógica há em que um homem que ora em voz alta, e agradece a Deus por ser obediente à Lei, e cumpridor dos deveres religiosos, sempre entregue a grandes sacrifícios, e que não é como os demais pecadores da terra, é visto como um homem que Deus não aceita a oração? Sim, enquanto ao lado dele um pecador assumido e confesso, e que tem até vergonha de estar ali, e que ali só vai porque deseja fazer a catarse de suas culpa, sendo ele um desprezível publicano, justamente a pessoa que Jesus diz que sai da oração e volta para casa justificado e perdoado? Não há lógica moral, ética, religiosa, filosófica, psicológica ou de qualquer outra natureza no Evangelho. Quem nele busca construir uma moral, alguma lógica, ou algum sentido que possa se valer de um mínimo de lógica humana a fim de determinar os resultados das decisões de Jesus nos Evangelhos, jamais conseguirá entendê-lo. Ele pode simplesmente não entrar numa questão de justiça, apenas com uma pergunta: “Quem me constituiu juiz e partidor entre vós?” E por que Ele que é a Verdade não responde acerca do tema quando Pilatos Lhe levantou a bola, perguntando: “O que é a Verdade?” O que há nos Evangelhos é o diagnóstico divino de que única verdade humana é que ele é um ser caído, e carece de Deus, sem outra escolha; e é a tomada dessa consciência em fé por parte do homem justamente o que faz com que ele seja aceito por Deus; visto que o tal homem, apesar de si mesmo, acreditou na Graça de Deus em seu favor, sem explicações; exceto uma: todos creram que Deus é misericordioso. E isto desencadeia o maior milagre; pois a salvação começa quando se toma a consciência, em fé, da nossa total impotência humana quanto a barganhar com Deus. Quando esse milagre acontece, até o camelo pode passar pelo fundo da agulha. Mesmo que o nome do camelo seja Zaqueu. Somente quando o homem vem a Deus sem barganha, é que mesmo sendo ele um grande camelo, ele passa pelo fundo da agulha. E pior, ele pode ser até um camelo muito rico, pois esse “impossível para os homens” termina na hora em que o camelo admite que não pode passar. Essa é a coisa impossível para o homem, e que é possível para Deus. Ninguém se salva, a menos que desista da salvação, e veja tal tarefa assim...tão caricatamente impossível para ele quanto fazer um camelo passar pelo fundo de uma agulha. Nesse dia de consciência total da impossibilidade absoluta de sua salvação, em confessando que se sabe disso, pela própria consciência da impossibilidade humana, o tal camelo passa para o outro lado; visto que Deus aciona a Graça da fé, que remete o camelo para o outro lado da agulha... Assim, o camelo passa, não as riquezas que carrega em sua caravana de vaidades; mas ele mesmo passa... Isto porque esta é decisão de Deus: operar a salvação em favor dos que desistem dela; e se abandonam na fé, como o publicano Zaqueu; mas não a libera como certeza na Graça em favor do rico penitente, que pensava que poderia “alcançar a vida eterna” por seus próprios méritos religiosos; portanto, sem a Graça.


Por Caio Fabio
Extraído do site: caiofabio.com

1 comentários:

  1. Ola pessoal do O verbo,
    Ja conhecem o agregador de conteúdo Linkeiro?
    De uma passada por la faça um cadastro e divulgue seu conteúdo.

    Abraço e até mais.

    Linkeiro - Agregador de conteúdo
    contato@linkeiro.com.br

    ResponderExcluir

Tags

10 Mandamentos 1Coríntios 1Reis 1Samuel 1Tessalonicenses 1Timóteo 2Coríntios 2Reis 666 Aborto Abraão Adão Adultério Adventismo Alá Albert Einstein Aleluia Allan Kardec Alma Amalequitas Ameaça Amizade Amor Aniversário Anjos Anti Cristo Antigo Testamento Apocalipse Apócrifos Apologética Apóstolos Arca de Noé Arminianismo Arqueologia Arrebatamento Arrependimento Árvore da Vida Ateismo Baruque Bate-Seba Batismo Besta Bíblia Big Bang Bizarro Blasfêmia Bode Bode Expiatório Bondade Bruxas Budismo Caim Calvinismo Candomblé Cântico dos Cânticos Caridade Carma Carnaval Carne Casamento Catolicismo Cavaleiros do Apocalipse Celebridades Céu Ciência Cientologia Cinema Circuncisão Ciúmes Classe Social Coliseu Colossenses Condenação Confissão Positiva Confucionismo Conhecimento Conhecimento Histórico Coração Cordeiro Corpo Corpus Christi Cosme e Damião Cotidiano Crenças Crentes Criacionismo Crianças Criminosos Cristão Cristianismo Crucificação Cruz Culpa Cura Curiosidades Daniel Darwin Davi Decepção Demônios Desenhos Deus Deuteronômio Devocional Diabo Dificuldades Bíblicas Dilma Rousseff Dilúvio Dinossauros Disney Dízimos e Ofertas Dons Espirituais Doutrinas Dúvidas Eclesiastes Éfeso EG White Egito Elanã Eliseu Erros Esperança Espiritismo Espírito Santo Esportes Estudos Bíblicos Evangelho Evangelho de João Evangelho de Lucas Evangelho de Marcos Evangelho de Mateus Evangelismo Evolucionismo Êxodo Ezequiel Facebook Falsos profetas Famosos Fanatismo Fantasmas Faraó Farsas Fatos Filantropia Filmes Filosofia Fim dos Tempos Física Fome Força Fraqueza Gaio Gálatas Ganância Gênesis Gideão Glória Golias Graça Hamas Hebreus Heresias Heróis Homem Homossexualismo Humilhação Igreja Igreja Evangélica Imagens Incenso Infantil Infarto Inferno Inquisição Interessante Internet Invocação Isaías Islamismo Israel Jardim do Éden Jeremias Jesus Cristo Jezabel João Batista João Calvino Jogos John Piper Jonas Josué Jovem Rico Jovens Judá Judaísmo Judas Judas Iscariotes Ladrão Laodicéia Leão Lei Leitura Levítico Liberdade Línguas Estranhas Listas Livro de Jó Livros da Bíblia Lua Lúcifer Lucro Lutero Mal Malaquias Maldade Maldição Maldições Hereditárias Manassés Maomé Marca Marca da Besta Marco Feliciano Maria Médium Melquisedeque Mentira Microcefalia Mirra Mitos Moisés Mormonismo Morte Motivacional Muçulmanos Mulheres Múmias Musica Namoro Natal Nefilins Neopentecostal Nero Noé Noticias Novela Novo Testamento Números Obelisco Ocultismo Ódio Oração Oráculos Orgulho Orixás Oséias Ouro Ovelhas Paganismo Pai Papa Para Refletir Parábolas Páscoa Paulo de Tarso Paz Pecado Pedofilia Pedro Pentateuco Perseguição Pobreza Polêmica Política Poltergeist Possessão Demoníaca Predestinação Preguiça Profecia Profetas Provações Psicologia Purgatório Raabe Raul Seixas Rede Globo Redes Sociais Reforma Protestante Reis Religião Ressurreição Revolução Riqueza Rocha Roma Rosa de Saron Sábado Salmos Salomão Salvação Samaritanos Sangue Santos São Jorge Satanás Satanismo Saul SBT Segunda Vinda Seio de Abraão Seitas Semana Santa Senaqueribe Sentimento Sete Espíritos Sexualidade Sinais Síndrome Sinistro Síria Sobrenatural Socialismo Sol Sonhos Stephen Hawking Subliminar Sugestões Suicídio Taoismo Televisão Templo de Salomão Teologia Teologia da Prosperidade Terra Terra Prometida Testemunhas de Jeová Textos Transformação Trindade Trono Tutancâmon Twitter UFO Universalismo Universo Verdade Vida Vídeos Violência Youtube Zacarias