Em Ezequiel 26 e 27, temos algumas profecias específicas a respeito do porto marítimo fenício chamado Tiro, como a predição da destruição da principal parte dessa cidade por Nabucodonosor (26.6-11) e da parte insular, por Alexandre, o Grande, em 332 a.C. (26.3-5, 12-14). Os efeitos devastadores sobre o comércio e a prosperidade das várias cidades e nações que negociavam com Tiro estão delineados em 26.15-21 e por todo o capítulo 27.
As passagens que trazem as lamentações por causa da queda da cidade e a resultante ruína do comércio mundial apresentam um tema que é retomado em escala mais impressionante ainda em Apocalipse 18, que retrata todas as grandes cidades integrantes do forte intercâmbio comercial da Terra lamentando a repentina destruição da Babilônia dos últimos dias.

Esses antigos centros comerciais, portanto, quer falemos de Tiro, quer de Babilônia, tipificam o colapso da cultura materialista do mundo sem Deus, no fim dos tempos. Todos os luxos e riquezas mercantis, pelos quais as civilizações depravadas     venderam a própria alma, ser-lhes-ão arrebatados; esses povos nada terão para si senão desilusão e desespero. Há um sentido, portanto, no qual Tiro serve de símbolo apocalíptico da derrocada mundial na agonia final da Grande Tribulação.

A partir dessa perspectiva, analisemos o capítulo 28. O "governante" ou "líder" (nāgîḍ) de Tiro é mencionado em 28.2, em que diz: "Sou um deus; sento-me no trono de um deus no coração dos mares...". E Deus lhe retruca: "... não passas de homem e não és Deus, ainda que estimas o teu coração como se fora o coração de Deus". Em outras palavras, em seu orgulho e loucura, esse governador de Tiro colocou-se, com seus interesses materiais, acima da vontade e da glória de Deus. Em seu devaneio, ele se imaginou mais importante que o Criador e Soberano do Universo — que é como se sente todo ser humano que não se reconciliou com Deus nem aceitou seu senhorio.

Tiro se havia tornado cidade conhecida proverbialmente pela sua sagacidade comercial e pelo brilhante sucesso na perseguição dos bens materiais. E diz o Senhor ironicamente: "você, és mais sábio que Daniel? Não haver segredo que lhe seja oculto?" (v. 3). Nenhuma outra cidade comercial poderia exceder a Tiro na aquisição dos luxos e tesouros que o dinheiro pode comprar, e foi essa supremacia financeira que o mundo insensato considerou a verdadeira sabedoria. Tão grande sucesso havia levado o povo de Tiro à loucura da autodeificação. Imaginaram que suas riquezas poderiam comprar-lhe segurança e poder sem a necessidade de proteção ou favor divinos. "... Porque você pensa que é sábio, tão sábio quanto Deus [isso é, imagina que é divino, e que domina completamente o seu destino], trarei estrangeiros contra você, das mais impiedosas nações [isso é, os caldeus, sob Nabucodonosor...]" (v. 6, 7).

Ezequiel 28.12-15 descreve a ilusão da auto-adulação em que Tiro se perdera. Diz o Senhor ao rei de Tiro: "... Você era o modelo da perfeição, cheio de sabedoria e perfeita beleza. Você estava no Éden, no jardim de Deus; todas as pedras preciosas o enfeitavam: sárdio, topázio e diamante, berilo, ônix..." (v. 12, 13). Em outras palavras, o paraíso que Tiro desejava era o gozo ilimitado dos tesouros materiais mais preciosos que o dinheiro pode adquirir. Tendo tais riquezas, julgavam estar desfrutando o céu na terra. Prossegue o versículo 14: "Você foi ungido como um querubim guardião, pois para isso o designei. Você estava no monte santo Deus e caminhava entre as pedras fulgurantes" [i.e., Deus havia favorecido Tiro com essa prosperidade sem paralelo em que agora a cidade baseia sua megalomania];

Os habitantes de Tiro se imaginavam acima de qualquer repreensão em seu padrão moral, pois consideravam a riqueza como recompensa e certificado de perfeição — quando se considera a ética que realmente tinha valor no mundo endurecido dos homens de negócio. "Você era inculpável em seus caminhos desde o dia em que foi criado até que se adiou maldade em você" (v. 15).

Só quando a orgulhosa cidade finalmente sucumbiu perante os aríetes dos guerreiros que  a pilhariam, vindos da Babilônia, é que descobriram o quanto estiveram enganados a seu próprio respeito. Haviam julgado estar tranquilamente postos a salvo no cume do monte de Deus (ou de seu próprio deus, Baal); mas foram atirados dessa montanha pelo julgamento justo de Iavé e imersos nas profundezas de uma derrota humilhante.

Não há a menor possibilidade de identificar o líder de Tiro, ou seu rei, como algum monarca específico da dinastia fenícia. À semelhança do "rei da Babilônia" de Isaías 14, esse "rei" serve como símbolo ou personificação do governo e do povo de Tiro. No que concerne a um relacionamento com Satanás, não parece haver qualquer evidência decisiva no texto de que o príncipe do Inferno esteja sendo mencionado na pessoa do príncipe de Tiro. Dificilmente haveria um versículo, pelo menos, que pudesse ser aplicado somente ao Diabo, em vez de aos governantes humanos dessa cidade. É certo que a teoria proposta por alguns autores de que esse capítulo contém alguns quadros vividos da carreira pessoal de Satanás antes de sua rebelião e expulsão do céu, não passa, quando muito, de uma conjectura destituída de base sólida. A linguagem hiperbólica empregada nos versículos que estudamos acima pode ser entendida melhor como sendo a auto-adulação vaidosa, a autoilusão dos milionários de Tiro e de seus líderes amantes do dinheiro, cujo conceito de céu não via além de seus tesouros de rubis e ouro, uma medida de virtude baseada na riqueza material. No entanto, deve-se entender com clareza que, em um sentido real, toda cultura comprometida com os valores materialistas está sob o domínio de Satanás e exerce influência na promoção de sua causa. Mas também irá participar do julgamento e destruição eterna do Diabo (Ap 20.10).



(Extraído do livro "Enciclopédia de Temas Bíblicos")

0 comentários:

Postar um comentário

Tags

10 Mandamentos 1Coríntios 1Reis 1Samuel 1Tessalonicenses 1Timóteo 2Coríntios 2Reis 666 Aborto Abraão Adão Adultério Adventismo Alá Albert Einstein Aleluia Allan Kardec Alma Amalequitas Ameaça Amizade Amor Aniversário Anjos Anti Cristo Antigo Testamento Apocalipse Apócrifos Apologética Apóstolos Arca de Noé Arminianismo Arqueologia Arrebatamento Arrependimento Árvore da Vida Ateismo Baruque Bate-Seba Batismo Besta Bíblia Big Bang Bizarro Blasfêmia Bode Bode Expiatório Bondade Bruxas Budismo Caim Calvinismo Candomblé Cântico dos Cânticos Caridade Carma Carnaval Carne Casamento Catolicismo Cavaleiros do Apocalipse Celebridades Céu Ciência Cientologia Cinema Circuncisão Ciúmes Classe Social Coliseu Colossenses Condenação Confissão Positiva Confucionismo Conhecimento Conhecimento Histórico Coração Cordeiro Corpo Corpus Christi Cosme e Damião Cotidiano Crenças Crentes Criacionismo Crianças Criminosos Cristão Cristianismo Crucificação Cruz Culpa Cura Curiosidades Daniel Darwin Davi Decepção Demônios Desenhos Deus Deuteronômio Devocional Diabo Dificuldades Bíblicas Dilma Rousseff Dilúvio Dinossauros Disney Dízimos e Ofertas Dons Espirituais Doutrinas Dúvidas Eclesiastes Éfeso EG White Egito Elanã Eliseu Erros Esperança Espiritismo Espírito Santo Esportes Estudos Bíblicos Evangelho Evangelho de João Evangelho de Lucas Evangelho de Marcos Evangelho de Mateus Evangelismo Evolucionismo Êxodo Ezequiel Facebook Falsos profetas Famosos Fanatismo Fantasmas Faraó Farsas Fatos Filantropia Filmes Filosofia Fim dos Tempos Física Fome Força Fraqueza Gaio Gálatas Ganância Gênesis Gideão Glória Golias Graça Hamas Hebreus Heresias Heróis Homem Homossexualismo Humilhação Igreja Igreja Evangélica Imagens Incenso Infantil Infarto Inferno Inquisição Interessante Internet Invocação Isaías Islamismo Israel Jardim do Éden Jeremias Jesus Cristo Jezabel João Batista João Calvino Jogos John Piper Jonas Josué Jovem Rico Jovens Judá Judaísmo Judas Judas Iscariotes Ladrão Laodicéia Leão Lei Leitura Levítico Liberdade Línguas Estranhas Listas Livro de Jó Livros da Bíblia Lua Lúcifer Lucro Lutero Mal Malaquias Maldade Maldição Maldições Hereditárias Manassés Maomé Marca Marca da Besta Marco Feliciano Maria Médium Melquisedeque Mentira Microcefalia Mirra Mitos Moisés Mormonismo Morte Motivacional Muçulmanos Mulheres Múmias Musica Namoro Natal Nefilins Neopentecostal Nero Noé Noticias Novela Novo Testamento Números Obelisco Ocultismo Ódio Oração Oráculos Orgulho Orixás Oséias Ouro Ovelhas Paganismo Pai Papa Para Refletir Parábolas Páscoa Paulo de Tarso Paz Pecado Pedofilia Pedro Pentateuco Perseguição Pobreza Polêmica Política Poltergeist Possessão Demoníaca Predestinação Preguiça Profecia Profetas Provações Psicologia Purgatório Raabe Raul Seixas Rede Globo Redes Sociais Reforma Protestante Reis Religião Ressurreição Revolução Riqueza Rocha Roma Rosa de Saron Sábado Salmos Salomão Salvação Samaritanos Sangue Santos São Jorge Satanás Satanismo Saul SBT Segunda Vinda Seio de Abraão Seitas Semana Santa Senaqueribe Sentimento Sete Espíritos Sexualidade Sinais Síndrome Sinistro Síria Sobrenatural Socialismo Sol Sonhos Stephen Hawking Subliminar Sugestões Suicídio Taoismo Televisão Templo de Salomão Teologia Teologia da Prosperidade Terra Terra Prometida Testemunhas de Jeová Textos Transformação Trindade Trono Tutancâmon Twitter UFO Universalismo Universo Verdade Vida Vídeos Violência Youtube Zacarias