Muitas pessoas não sabem, mas antes de ganharem versões fofas nas mãos de Walt Disney, os contos infantis eram muito mais sombrios. As histórias de Perrault, Grimm e companhia eram cheias de crianças abandonadas, assassinatos por todos os lados, membros decepados... Cinderela, A Bela Adormecida, Branca de Neve e mesmo Frozen têm uma história muito mais sinistra originalmente.

A ideia, claro, era preparar as crianças para os problemas mundo afora. Mas convenhamos: esses pais de antigamente eram muito mais assustadores do que os de hoje em dia. Se você se interessa pelo assunto, pode encontrar mais sobre a origem dos contos infantis em livros como "O Grande Massacre de Gatos" e "A Menina do Capuz Vermelho e Outras Histórias de Dar Medo".

Preparado para destruir a sua infância? Descubra 15 contos originais a seguir!

1. Cinderela


Versão Disney: Cinderela perde o sapatinho de cristal no baile, e o príncipe passa a procurar pela dona do sapato. Todas as mulheres solteiras da região experimentam o calçado, mas ele não serve em ninguém - nem mesmo nas irmãs malvadas de Cinderela, que tentam de todas as maneiras conquistar o príncipe. No final, o sapato cai perfeitamente nos pés de Cinderela, que se torna a escolhida.

Versão original: Para seus pés caberem no sapatinho de cristal, uma irmã malvada corta os dedos do pé, e a outra corta o próprio calcanhar. Mas o príncipe é avisado de o sapatinho está repleto de sangue, e não aceita nenhuma das duas como esposa. Quando elas tentam comparecer à festa de casamento entre Cinderela e o príncipe, as irmãs têm os olhos furados por pássaros. Mais tarde, Cinderela quebra o pescoço da Madrasta Má com a tampa de um baú, matando a vilã. Ah, mais um detalhe: não existia fada madrinha na história dos irmãos Grimm.

2. A Bela Adormecida


Versão Disney: Vítima de um feitiço, a princesa espeta o dedo no fuso de uma roca e cai em sono profundo. O príncipe Philip, já apaixonado por Aurora, descobre a maldição, dá um beijo de amor verdadeiro, e ela se acorda. Eles se apaixonam.

Versão original: Aurora espeta o dedo e dorme. O príncipe chega, estupra a garota e vai embora. Ela engravida e dá à luz, enquanto dorme. Na história de Giambattista Basile, a personagem acorda apenas quando os bebês, famintos, chupam o seu dedo e retiram o linho enfiado na carne. Outra versão mais antiga da mesma história (contada por Robert Darnton) diz que Aurora acorda com os recém-nascidos comendo o corpo da própria mãe, de tanta fome.

3. Chapeuzinho Vermelho


Versão Disney (e versão Grimm também): O lobo chega à casa da vovó antes da Chapeuzinho Vermelho, e devora a proprietária. Ele se disfarça de vovó, e quase consegue enganar a garota, mas na hora de revelar o disfarce e devorá-la, o caçador mata o lobo.

Versão original (de Perrault): O lobo mata, mas não devora a vovó. Quando Chapeuzinho chega à casa, o lobo fantasiado oferece carne para a garota comer (sim, a carne da própria avó). Ela come toda a carne, e ainda bebe uma taça de vinho (que era na verdade o sangue da avó). Depois, quando chama a garota para a cama, ele pede a Chapeuzinho que fique nua antes de se deitar. O lobo devora a Chapeuzinho.

4. A Pequena Sereia


Versão Disney: A sereia Ariel se apaixona pelo humano Eric, e o resgata após um acidente. Ela se apaixona, e para ficar perto do amado, aceita trocar a sua voz por um par de pernas. O desafio é conquistar um beijo verdadeiro em três dias, ou ela volta a ser sereia. A vilã Ursula trapaceia, finge ser Ariel e dificulta a tarefa. Ariel volta a ser sereia, mas com a ajuda do pai, torna-se humana e se casa com o príncipe.

Versão original: Ao invés de conceder a sua voz, Ariel tem a língua cortada, e por isso não pode falar. As pernas novas doem terrivelmente, como se ela andasse sobre cacos de vidro. Caso ela não consiga o beijo verdadeiro, ela morre. O príncipe se casa com outra (que acredita ter sido a sua salvadora no acidente), e Ariel quer voltar para o fundo do mar. Para se tornar sereia, basta assassinar o príncipe e deixar o sangue dele cair sobre seus pés. Mas Ariel não consegue matá-lo. Ela se joga no mar, e se transforma em espuma.

5. A Bela e a Fera


Versão Disney: Um príncipe é castigado por sua arrogância, e acaba transformado em uma Fera. O feitiço só terminaria quando ele amar alguém, e for amado também. Dez anos depois, ele ainda não conseguiu essa façanha. Até descobrir Bela, uma garota culta que se torna a prisioneira em seu castelo. Bela o recusa no início, mas acaba se apaixonando. O feitiço se desfaz e os dois ficam juntos.

Versão original: Em uma das primeiras versões, de Gabrielle-Suzanne Barbot de Villeneuve, Bela tem algo em comum com Cinderela: duas irmãs malvadas e invejosas. A trama original continua: após conquistar o amor da Fera, as irmãs tentam reter Bela fora de sua casa durante muito tempo. A ideia é irritar o Fera, fazendo com que ele devore sua amada quando ela retornar.

6. Frozen


Versão Disney: Elsa é uma garota com o poder de transformar as coisas em gelo. Quando ela quase mata Anna, sua irmã menor, trolls fazem um feitiço para que Anna não se lembre do poder da irmã. Os pais das duas morrem, e Elsa evita o contato com Anna, com medo de não controlar seus poderes. Quando sua capacidade se torna pública, Elsa se refugia em um castelo, mas Anna está decidida a buscá-la de volta, com a ajuda de um vendedor de gelo e de um boneco de neve.

Versão original: Na história "A Rainha do Gelo", de Hans Christian Andersen, os trolls são malvados, e fazem um espelho que distorce as imagens. O espelho se quebra, e pequenas farpas atravessam os olhos e o coração de Kai, irmão de Gerda (sim, a história original gira em torno de uma garota e um garoto). A malvada rainha da neve aparece, faz com que Kai se esqueça da irmã e leva-o com ela. Gerda procura pelo irmão: uma moita nasce de suas lágrimas, e investiga todos os cadáveres enterrados no chão, mas nenhum deles é de Kai, ou seja, ele ainda está vivo! Com a ajuda de uma garota ladra, eles retiram as farpas de Kai, combatem a bruxa e voltam para casa.

7. João e Maria


Versão Disney (em Babes in the Woods, 1932): Os irmãos João e Maria (Hansel e Gretel, no original) vivem com o pai e a madrasta. Esta fica brava com as crianças um dia e pede que eles colham amoras na floresta. Eles jogam migalhas de chão para não se perderem, mas os pássaros comem as pistas. Os irmãos encontram uma casa de doces, que funciona como armadilha para uma bruxa tentar devorar os dois.

Versão original: O conto dos irmãos Grimm é muito mais sombrio. As duas crianças são abandonadas pela própria mãe, para morrerem de fome na floresta, já que os pais são muito pobres e não podem sustentá-los. Quando voltam para casa, tendo sobrevivido à bruxa, encontram os pais mortos de fome dentro de casa.

8. Pinóquio


Versão Disney: Pinóquio é um boneco que ganha vida. Seu amigo grilo lhe aconselha a não se meter em confusões, mas ele não ouve as sugestões e se envolve em vários problemas. Para esconder suas ações, ele mente ao seu criador, o bondoso Gepeto, e a cada mentira, o nariz de Pinóquio cresce mais. Um dia, ele é obrigado a salvar o pai, preso dentro de uma baleia. Com a ajuda de uma fada, torna-se humano.

Versão original: O personagem é muito mais manipulador na história "As Aventuras de Pinóquio", de Carlo Collodi. Assim que aprende a falar, ele foge de casa. Quando o grilo falante tenta dar bons conselhos, Pinóquio se irrita e mata o amigo com uma martelada na cabeça. Depois, ele fala com mortos e fica agonizando quando dois perseguidores o enforcam. Ele escapa. Gepeto é engolido por um tubarão, ao invés de uma baleia. No fim da história, Pinóquio está à beira da morte.

9. Branca de Neve e os Sete Anões


Versão Disney: A Rainha má pergunta a um espelho quem é a mulher mais bonita, e o objeto responde que é Branca de Neve. Enciumada, a mulher manda matar a garota, mas o homem encarregado da tarefa não tem coragem de assassiná-la, e deixa Branca de Neve fugir na floresta. Ela encontra a casa de sete anões, e passa a morar com eles. A Rainha descobre que sua rival ainda está viva, se disfarça de bruxa e entrega uma maçã envenenada para Branca de Neve, que dorme até ser acordada pelo beijo do príncipe. Os anões matam a Rainha.

Versão original: A Rainha não apenas manda matar Branca de Neve, ela também exige que o coração e o fígado da garota sejam trazidos de volta. Ela come os órgãos. O príncipe tenta levar o corpo da Branca de Neve com ele, mesmo achando que ela está morta. A garota não acorda com um beijo: o príncipe deixa o caixão cair, e o pedaço de maçã em sua garganta se desloca e sai da boca, fazendo com que ela acorde. O príncipe e Branca de Neve se casam, e convidam a Rainha para a cerimônia. Os dois forçam a vilã a usar sapatos incandescentes, e dançar até morrer.

10. Peter Pan


Versão Disney: Peter Pan é um garoto que não quer crescer. Com ajuda do feitiço da fada Sininho, ele ensina Wendy e seus irmãos a voarem até a Terra do Nunca, um lugar onde o tempo passa de maneira diferente. Lá, o Capitão Gancho tenta se vingar de Peter Pan, pois atribui ao garoto a culpa de ter perdido uma de suas mãos em uma batalha.

Versão original: A história de J.M. Barrie não foi tão modificada... com algumas exceções sórdidas. Quando os Garotos Perdidos envelheciam, o próprio Peter Pan se encarregava de matá-los, para evitar a superpopulação na Terra do Nunca. Outra história, "Peter Pan in Kensington Gardens", sugere que o garoto enterrava cadáveres diariamente, incluindo bebês que se perdiam e eram assassinados.

11. A Princesa e o Sapo


Versão Disney: Tiana sonha em se tornar dona de um restaurante. Ela decide trabalhar na festa organizada pela amiga Charlotte, que tenta conquistar um príncipe de passagem pela cidade. Acidentalmente, Tiana usa o vestido da amiga, e é confundida com um princesa pelo sapo. O animal pede um beijo, que seria capaz de transformá-lo em humano. Mas quando Tiana o beija, é ela quem se torna uma rã.

Versão original: A lenda do beijo que transforma sapo em príncipe já ganhou várias versões, mas nos primeiros textos conhecidos do "Príncipe Sapo", o feitiço do príncipe não é quebrado através de um beijo. A solução é maltratar o sapo, batendo-o na parede com a maior força possível. Outras versões dizem que o feitiço seria quebrado se o animal fosse queimado em uma fogueira, ou decapitado.

12. Rapunzel


Versão Disney: Rapunzel é mantida prisioneira numa torre pela cruel mamãe Gothel. Seus cabelos gigantescos servem a manter contato com o belo príncipe, que roubou a sua tiara sem conhecer a dona do acessório. Rapunzel recupera a tiara, e faz um trato com o príncipe: ela entrega o objeto se ele ajudá-la a sair de lá, para ver as luzes no dia do seu aniversário.

Versão original: Bom, neste caso a coisa é muito diferente. Logo nos primeiros encontros entre Rapunzel e o príncipe, ela fica grávida, algo descoberto pela feiticeira ao ver a barriga da prisioneira. Quando o príncipe se depara com os cabelos cortados de Rapunzel, acredita que ela está morta, e se joga da janela, ficando cego com os espinhos no solo. Ele vaga sem rumo, chorando. Rapunzel dá à luz a gêmeos, e as suas lágrimas fazem com que o príncipe enxergue novamente.

13. Aladdin


Versão Disney: Aladdin e seu macaco são enganados por Jafar, que lhes pede para resgatar uma lâmpada em uma caverna. Eles ficam presos, mas quando esfregam a lâmpada, libertam um gênio que concede a Aladdin três desejos. Aladdin sonha em usar os desejos para se casar com a princesa Jasmine, mas Jafar tenta enganá-lo várias vezes para recuperar a lâmpada. No final, o Sultão permite que Aladdin se case com Jasmine. Jafar é sugado para dentro de uma lâmpada.

Versão original: Existem dois gênios na lâmpada: um mais fraco, que leva Aladdin de volta à sua mãe, e um segundo, mais forte, que concede os três desejos. Ele pede riqueza, um castelo e se casa com a princesa. O feiticeiro tenta roubar a lâmpada da esposa de Aladdin, mas ele usa um anel mágico (e não um tapete) para recuperar o objeto. Aladdin nunca liberta o gênio da lâmpada, pensando apenas em si mesmo. Ele batalha com o feiticeiro e mata-o. Mas o irmão do feiticeiro tenta matar Aladdin. Novamente, o herói escapa e mata o segundo adversário, vivendo rico para sempre.

14. O Cão e a Raposa


Versão Disney: A raposa Tod é adotada por uma família humana e torna-se amiga do cachorro Cooper. Mas o dono de Cooper é um caçador, que tenta matar Tod. Os dois são afastados durante muito tempo, e Cooper é treinado para se tornar um grande perseguidor de raposas. Anos depois, em uma perseguição, ele encontra justamente Tod. A amizade prevalece: Cooper protege Tod e os dois ficam próximos mais uma vez.

Versão original: Quando Cooper e Tod passam a se perseguir, sem se reconhecer, o cachorro é atropelado por um trem. O dono do cão fica inconsolado, e promete vingança contra a raposa. Ele assassina toda a família de Tod, mas não consegue matá-lo. Mesmo assim, a raposa morre de cansaço, de tanto ser perseguida. Outra versão da história de Daniel P. Mannix sugere que o próprio caçador dá um tiro fatal em Cooper.

15. Gato de Botas


Versão Disney (sim, a Disney fez um filme sobre o personagem em 1922, muito antes da Dreamworks): Um plebeu é apaixonado por uma princesa, e a gata preta dele se apaixona pelo gato branco dela. Para se casar com a princesa, ele supostamente vence uma batalha contra um touro (com a ajuda de uma máquina de hipnose) e impressiona o rei a ponto de ser escolhido como futuro marido de sua filha. Por causa do plano, feito com ajuda do gato, o felino exige como pagamento um par de botas. O rei descobre o passado do plebeu e fica furioso, mas o homem apaixonado foge com a princesa.

Versão original: Segundo Robert Darnton, existem duas versões diferentes da história inicial. Em uma delas, três irmãos recebem heranças diferentes do pai: um ganha uma fortuna, o outro fica com poucas posses, e o terceiro ganha apenas um gato (que na verdade é uma raposa e não usa botas). Mas o gato é esperto, abusa da vaidade e da ignorância alheia, para fazer com que o dono se case com a princesa, e o próprio gato fique rico. Na outra versão, dois irmãos recebem heranças muito diferentes. Um deles fica com tudo, e o outro, que tem cinco filhos para criar, torna-se mendigo. O irmão mais velho, arrogante, faz com que o mais novo fique nu e role sobre o trigo, dizendo que o que o irmão pode levar para a família todo o trigo que se colar no seu corpo. Mas o trigo arrecadado não é suficiente... Uma fada-raposa aparece, e consegue um pote de ouro para o irmão mais pobre, que passa a levar uma boa vida.


Extraído do site: http://www.adorocinema.com/

0 comentários:

Postar um comentário

Tags

10 Mandamentos 1Coríntios 1Reis 1Samuel 1Tessalonicenses 1Timóteo 2Coríntios 2Reis 666 Aborto Abraão Adão Adultério Adventismo Alá Albert Einstein Aleluia Allan Kardec Alma Amalequitas Ameaça Amizade Amor Aniversário Anjos Anti Cristo Antigo Testamento Apocalipse Apócrifos Apologética Apóstolos Arca de Noé Arminianismo Arqueologia Arrebatamento Arrependimento Árvore da Vida Ateismo Baruque Bate-Seba Batismo Besta Bíblia Big Bang Bizarro Blasfêmia Bode Bode Expiatório Bondade Bruxas Budismo Caim Calvinismo Candomblé Cântico dos Cânticos Caridade Carma Carnaval Carne Casamento Catolicismo Cavaleiros do Apocalipse Celebridades Céu Ciência Cientologia Cinema Circuncisão Ciúmes Classe Social Coliseu Colossenses Condenação Confissão Positiva Confucionismo Conhecimento Conhecimento Histórico Coração Cordeiro Corpo Corpus Christi Cosme e Damião Cotidiano Crenças Crentes Criacionismo Crianças Criminosos Cristão Cristianismo Crucificação Cruz Culpa Cura Curiosidades Daniel Darwin Davi Decepção Demônios Desenhos Deus Deuteronômio Devocional Diabo Dificuldades Bíblicas Dilma Rousseff Dilúvio Dinossauros Disney Dízimos e Ofertas Dons Espirituais Doutrinas Dúvidas Eclesiastes Éfeso EG White Egito Elanã Eliseu Erros Esperança Espiritismo Espírito Santo Esportes Estudos Bíblicos Evangelho Evangelho de João Evangelho de Lucas Evangelho de Marcos Evangelho de Mateus Evangelismo Evolucionismo Êxodo Ezequiel Facebook Falsos profetas Famosos Fanatismo Fantasmas Faraó Farsas Fatos Filantropia Filmes Filosofia Fim dos Tempos Física Fome Força Fraqueza Gaio Gálatas Ganância Gênesis Gideão Glória Golias Graça Hamas Hebreus Heresias Heróis Homem Homossexualismo Humilhação Igreja Igreja Evangélica Imagens Incenso Infantil Infarto Inferno Inquisição Interessante Internet Invocação Isaías Islamismo Israel Jardim do Éden Jeremias Jesus Cristo Jezabel João Batista João Calvino Jogos John Piper Jonas Josué Jovem Rico Jovens Judá Judaísmo Judas Judas Iscariotes Ladrão Laodicéia Leão Lei Leitura Levítico Liberdade Línguas Estranhas Listas Livro de Jó Livros da Bíblia Lua Lúcifer Lucro Lutero Mal Malaquias Maldade Maldição Maldições Hereditárias Manassés Maomé Marca Marca da Besta Marco Feliciano Maria Médium Melquisedeque Mentira Microcefalia Mirra Mitos Moisés Mormonismo Morte Motivacional Muçulmanos Mulheres Múmias Musica Namoro Natal Nefilins Neopentecostal Nero Noé Noticias Novela Novo Testamento Números Obelisco Ocultismo Ódio Oração Oráculos Orgulho Orixás Oséias Ouro Ovelhas Paganismo Pai Papa Para Refletir Parábolas Páscoa Paulo de Tarso Paz Pecado Pedofilia Pedro Pentateuco Perseguição Pobreza Polêmica Política Poltergeist Possessão Demoníaca Predestinação Preguiça Profecia Profetas Provações Psicologia Purgatório Raabe Raul Seixas Rede Globo Redes Sociais Reforma Protestante Reis Religião Ressurreição Revolução Riqueza Rocha Roma Rosa de Saron Sábado Salmos Salomão Salvação Samaritanos Sangue Santos São Jorge Satanás Satanismo Saul SBT Segunda Vinda Seio de Abraão Seitas Semana Santa Senaqueribe Sentimento Sete Espíritos Sexualidade Sinais Síndrome Sinistro Síria Sobrenatural Socialismo Sol Sonhos Stephen Hawking Subliminar Sugestões Suicídio Taoismo Televisão Templo de Salomão Teologia Teologia da Prosperidade Terra Terra Prometida Testemunhas de Jeová Textos Transformação Trindade Trono Tutancâmon Twitter UFO Universalismo Universo Verdade Vida Vídeos Violência Youtube Zacarias