Não há a menor dúvida de que as Escrituras condenam a mentira como pecado. Em Levítico 19.11, assim diz o Senhor: "Não furtem. Não mintam". Em Provérbios 12.22 lemos: "O SENHOR odeia os lábios mentirosos, mas se deleita com os que falam a verdade". No NT, Paulo exorta os efésios em 4.25: "Cada um de vocês deve abandonar a mentira e falar a verdade ao seu próximo, pois todos somos membros de um mesmo corpo". Essas e muitas outras passagens deixam bem claro que Deus jamais se agrada de pessoas que não falam a verdade.

No entanto, a falsidade, à semelhança de qualquer outro pecado, pode ser totalmente expiada pelo sangue de Cristo no Calvário, desde que o mentiroso esteja convicto em sua consciência de que é culpado e sinceramente se arrependa de sua transgressão. O crente contrito pode apelar para os méritos expiatórios de Cristo e ser totalmente perdoado. O que temos, então, em resumo, são estes princípios a respeito do relacionamento entre Deus e o pecador perdoado: 1) o Senhor sempre condenou o pecado, porque ele colocou a culpa de todas as nossas transgressões sobre seu Filho isento de pecado, quando este morreu pelos pecadores na cruz; 2) o Senhor não aceita os transgressores como participantes de sua redenção por causa de seus pecados, mas por intermédio de sua fé. Até mesmo Abraão pecou quando mentiu a respeito do estado civil de Sara — ele devia ter dito que ela era sua esposa — mas se sentiu compelido a omitir a verdade para evitar o perigo de ser morto por causa dela (Gn 12.12-19). Davi mentiu ao sumo sacerdote Aimeleque quando lhe disse que Saul o havia enviado a Nobe a negócios do reino, quando, na verdade, estava fugindo do rei para salvar a própria vida (1 Sm 21.2).

No caso de Raabe, há alguns fatores especiais que lhe servem de atenuantes, os quais não podem ser negligenciados, ainda que não consigam desculpar-lhe a falsidade. No episódio particular dessa mulher, mentira foi um passo de fé, que colocou sua vida em perigo. Ter-lhe-ia sido mais fácil dizer a verdade e avisar a polícia de Jericó de que ela havia abrigado dois espiões hebreus, os quais estavam escondidos sob as pilhas de cana de linho que secavam ao sol sobre o telhado de sua casa. Todavia, ela havia jurado, aparentemente, aos dois fugitivos, que não os trairia e nem os entregaria aos agentes policiais. O fato é que essa mulher manifestou forte convicção de que as forças israelitas capturariam e destruiriam Jericó, ainda que a todos parecesse, do ponto de vista militar, ser a cidade virtualmente inexpugnável. "O SENHOR, O seu Deus, é Deus em cima nos céus e embaixo na terra. Jurem-me pelo SENHOR.. ." (Js 2.11, 12). Era uma mulher de má fama, pagã, de modo que o fato de ela ter atingido essa convicção a respeito do verdadeiro Deus foi uma extraordinária manifestação de fé, muito maior que a demonstrada pelos patriarcas e pelo povo de Israel, que haviam sido criados na verdade a respeito do Senhor. Raabe precisou dar as costas ao seu próprio povo e às tradições culturais em que havia sido criada para tomar aquela decisão definitiva, a de abraçar a aliança que o Todo-Poderoso celebrara com Israel e fazer parte do povo de Deus. Ela literalmente arriscou a própria vida pela causa do Senhor quando pregou aquela mentira aos oficiais de Jericó. Ela poderia facilmente ter sido desmascarada. Um simples espirro ou um movimento involuntário da parte de um dos espiões teria assinalado o destino horrível dessa mulher — bem como o dos espiões. Portanto, devemos reconhecer que havia alguns fatores atenuantes, que minoraram o erro de Raabe.

O compromisso de entrega total que Raabe fez com Iavé, aceitando seu senhorio, fê-la unir-se ao povo de Israel depois da captura de Jericó e sua destruição total (Js 6.17-25). Mais tarde, ela se casaria com Salmom, da tribo de Judá e, assim, tornar-se-ia a mãe de Boaz e ancestral do rei Davi (Mt 1.5, 6). A despeito de seu passado pecaminoso, sua fé lhe foi consignada por justiça, não apenas pelo Senhor como também pelo povo de Deus. Raabe assumiu posição honorífica como ancestral do Senhor Jesus. Em Hebreus 11.31, lemos este tributo à coragem e fé dessa mulher: "Pela fé a prostituta Raabe, por ter acolhido os espiões, não foi morta com os que haviam sido desobedientes". Em Tiago 2.25, o apóstolo elogia a confiança de Raabe como sendo genuína e eficaz, porque ela expressou sua fé e "... Caso semelhante é o de Raabe, a prostituta: não foi ela justificada pelas obras, quando acolheu os espias e os fez sair por outro caminho?".


Extraído da "Enciclopédia de temas Bíblicos", de Gleason Archer

0 comentários:

Postar um comentário

Tags

10 Mandamentos 1Coríntios 1Reis 1Samuel 1Tessalonicenses 1Timóteo 2Coríntios 2Reis 666 Aborto Abraão Adão Adultério Adventismo Alá Albert Einstein Aleluia Allan Kardec Alma Amalequitas Ameaça Amizade Amor Aniversário Anjos Anti Cristo Antigo Testamento Apocalipse Apócrifos Apologética Apóstolos Arca de Noé Arminianismo Arqueologia Arrebatamento Arrependimento Árvore da Vida Ateismo Baruque Bate-Seba Batismo Besta Bíblia Big Bang Bizarro Blasfêmia Bode Bode Expiatório Bondade Bruxas Budismo Caim Calvinismo Candomblé Cântico dos Cânticos Caridade Carma Carnaval Carne Casamento Catolicismo Cavaleiros do Apocalipse Celebridades Céu Ciência Cientologia Cinema Circuncisão Ciúmes Classe Social Coliseu Colossenses Condenação Confissão Positiva Confucionismo Conhecimento Conhecimento Histórico Coração Cordeiro Corpo Corpus Christi Cosme e Damião Cotidiano Crenças Crentes Criacionismo Crianças Criminosos Cristão Cristianismo Crucificação Cruz Culpa Cura Curiosidades Daniel Darwin Davi Decepção Demônios Desenhos Deus Deuteronômio Devocional Diabo Dificuldades Bíblicas Dilma Rousseff Dilúvio Dinossauros Disney Dízimos e Ofertas Dons Espirituais Doutrinas Dúvidas Eclesiastes Éfeso EG White Egito Elanã Eliseu Erros Esperança Espiritismo Espírito Santo Esportes Estudos Bíblicos Evangelho Evangelho de João Evangelho de Lucas Evangelho de Marcos Evangelho de Mateus Evangelismo Evolucionismo Êxodo Ezequiel Facebook Falsos profetas Famosos Fanatismo Fantasmas Faraó Farsas Fatos Filantropia Filmes Filosofia Fim dos Tempos Física Fome Força Fraqueza Gaio Gálatas Ganância Gênesis Gideão Glória Golias Graça Hamas Hebreus Heresias Heróis Homem Homossexualismo Humilhação Igreja Igreja Evangélica Imagens Incenso Infantil Infarto Inferno Inquisição Interessante Internet Invocação Isaías Islamismo Israel Jardim do Éden Jeremias Jesus Cristo Jezabel João Batista João Calvino Jogos John Piper Jonas Josué Jovem Rico Jovens Judá Judaísmo Judas Judas Iscariotes Ladrão Laodicéia Leão Lei Leitura Levítico Liberdade Línguas Estranhas Listas Livro de Jó Livros da Bíblia Lua Lúcifer Lucro Lutero Mal Malaquias Maldade Maldição Maldições Hereditárias Manassés Maomé Marca Marca da Besta Marco Feliciano Maria Médium Melquisedeque Mentira Microcefalia Milagres Mirra Mitos Moisés Mormonismo Morte Motivacional Muçulmanos Mulheres Múmias Musica Namoro Natal Nefilins Neopentecostal Nero Noé Noticias Novela Novo Testamento Números Obelisco Ocultismo Ódio Oração Oráculos Orgulho Orixás Oséias Ouro Ovelhas Paganismo Pai Papa Para Refletir Parábolas Páscoa Paulo de Tarso Paz Pecado Pedofilia Pedro Pentateuco Perseguição Pobreza Polêmica Política Poltergeist Possessão Demoníaca Predestinação Preguiça Profecia Profetas Provações Psicologia Purgatório Raabe Raul Seixas Rede Globo Redes Sociais Reforma Protestante Reis Religião Ressurreição Revolução Riqueza Rocha Roma Rosa de Saron Sábado Salmos Salomão Salvação Samaritanos Sangue Santos São Jorge Satanás Satanismo Saúde Saul SBT Segunda Vinda Seio de Abraão Seitas Semana Santa Senaqueribe Sentimento Sete Espíritos Sexualidade Sinais Síndrome Sinistro Síria Sobrenatural Socialismo Sol Sonhos Stephen Hawking Subliminar Sugestões Suicídio Taoismo Televisão Templo de Salomão Teologia Teologia da Prosperidade Terra Terra Prometida Testemunhas de Jeová Textos Transformação Trindade Trono Tutancâmon Twitter UFO Universalismo Universo Verdade Vida Vídeos Violência Youtube Zacarias